De acordo com informação do MTSSS/GEP, Quadros de pessoal, publicada pelo INE, em 2017, os homens ganharam, em média, 1237 euros mensais e as mulheres 1011 euros mensais. Isso significa que as mulheres ganharam, em média, menos 226 euros ou 18% do que os homens.
 
No global, o ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem situou-se nos 1133 euros mensais em 2017, mais 17.7% do que o observado 10 anos antes. No caso dos homens, o valor subiu 16% entre 2007 e 2017, enquanto entre as mulheres aumentou 22.2% no mesmo período.
 
Em 2017, regista-se assim a menor disparidade salarial entre os dois sexos, ao contrário do observado em 2012, quando as mulheres ganhavam, em média, menos 257 euros do que os homens.

placeholder
A desagregação destes dados por concelho está apenas disponível para o ano 2015 e está acessível no sistema de geomarketing Sales Index da Marktest e na sua aplicação web Municípios Online . Eles revelam que na generalidade dos concelhos do país os homens (trabalhadores por conta de outrem) ganham, em média, mais do que as mulheres, havendo apenas cinco exceções: Nordeste, Murça, Sabrosa, Mértola e Ourique. Aqui, embora por uma pequena diferença, são as mulheres a registar um ganho médio mensal mais elevado. Em Ourique as mulheres ganham em média mais 2 euros do que os homens e em Nordeste ganham mais 87 euros.
Pelo contrário, em Alcochete a diferença entre o ganho dos homens supera os 1500 euros face ao ganho das mulheres. Entre os trabalhadores por conta de outrem neste concelho, eles ganham em média 2488 euros mensais e elas 936 euros. Este concelho é aliás aquele onde os homens mais ganham, em média.
Vila do Porto, Sines, Castro Verde e Vila Velha de Ródão são os outros concelhos onde a disparidade salarial entre homens e mulheres é maior (entre 1011 e 540 euros).
Os dados mostram ainda que Oeiras é o concelho onde as mulheres mais ganham, uma média de 1451 euros mensais, à frente de Lisboa (1361 euros) e Vila do Porto (1236 euros). Em contrapartida, em Gavião, Lousada e Terras de Bouro as mulheres têm o menor ganho médio mensal, não atingindo os 660 euros.
Sabrosa, Castanheira de Pêra e Oliveira de Frades foram os concelhos que, na última década, registaram um maior aumento percentual do ganho médio mensal das mulheres.
Já o concelho do Corvo foi o único que observou uma quebra no ganho médio dos trabalhadores por conta de outrem em 2017 face ao observado em 2007.
 
Fonte