A forma como produzimos e consumimos contribui para muitos dos problemas ambientais sentidos um pouco por todo o mundo, tais como as alterações climáticas, a poluição e a exaustão dos recursos naturais. A nossa qualidade de vida, depende da capacidade de vivermos dentro dos limites dos recursos naturais disponíveis, e por isso, há uma crescente preocupação no incentivo ao consumo de produtos locais para promoção de um consumo mais sustentável, embora saibamos que consumo local e sustentabilidade não são sempre sinónimos.
Atualmente, embora se associe mais o consumo local à alimentação, este não se restringe a este setor e a tendência é que se estenda a vários aspetos do nosso dia-a-dia. Até porque os consumidores são cada vez mais exigentes, informados e conscientes das suas escolhas. Tem especial relevância também o impacto positivo que o consumo local tem na geração de emprego. Sabemos, no entanto, que há ainda obstáculos ao desenvolvimento da produção local tais como o preço, a qualidade ou a rastreabilidade dos produtos, que só serão ultrapassados se encontrarmos respostas inovadores e adequadas ao desafio, que contribuam postivamente para todas as partes envolvidas.
É este o foco de mais uma edição do Observador Cetelem Consumo, resultado de inquéritos aos consumidores de 17 países europeus, entre os quais Portugal. No caso nacional, os resultados indicam que os inquiridos se enquadram na média europeia, embora se destaque o interesse e a importância do desenvolvimento do consumo local, que é encarado como um dever.
Todas estas mudanças nos hábitos de consumo, tornam-se indispensáveis ao desenvolvimento de práticas que vão ao encontro das exigências dos consumidores.
 
Ver estudo completo